O Ensino / Os 7 Princípios / Polaridade

"Tudo é duplo; tudo tem dois pólos; tudo, o seu par de opostos: os semelhantes e os antagónicos são o mesmo; os opostos são idênticos em natureza, mas diferentes em grau; os extremos  tocam-se; todas as verdades são semiverdades; todos os paradoxos podem reconciliar-se".

Conceitos

Tudo é dual no Universo, tudo tem duas caras. A polaridade mantém o ritmo da vida. Conhecemos a existência de algo pelo contraste do seu oposto.

Assim encontramos:

  • luz - escuridão
  • amor - ódio
  • espiríto - matéria
  • vida - morte
  • bem - mal
  • vigília - sonho
  • valor - medo
  • alegria - tristeza

Os opostos apresentam-se sempre no mesmo elemento. O princípio da polaridade funciona ao longo de uma escala vibratória de graus  que vão do positivo ao negativo, sendo o positivo de natureza superior ao negativo: em cada coisa há dois pólos, na temperatura está o frio e o calor, e ainda que sejam opostos são uma mesma coisa. O espiríto e a matéria são a mesma coisa mas manifestam-se vibratoriamente opostos.

Qualquer fenómeno tem a possibilidade da sua manifestação contrária, e é possível mudar algo não desejável na sua condição oposta. Esta é a base da transmutação mental, a arte de polarizar. O não desejável se neutraliza, mudando a sua polaridade. Os extremos tocam-se; os dois extremos da polaridade atraem-se mutuamente. É por esta razão que é mais fácil transformar o ódio em amor que a partir da indiferença. A distância mais curta neste caso não é em linha recta, mas sim em círculo.

Este princípio, a nível práctico, permite apreciar os obstáculos da vida em seu justo valor, já que possibilita que uma situação conflituosa possa ser mudada gradualmente através de uma adequada polarização no oposto. A mudança de um grau a outro da escala vibratória se consegue mediante a vontade e o autodominio.

Observa e pratica

Condições básicas para realizar uma mudança de polaridade:

  • Claridade àcerca do estado que se quer conseguir e do estado no qual um se encontra.
  • Exercitar a vontade consciente para polarizar-se interiormente em pensamentos, emoções e atitudes de acordo com o estado a que se deseja chegar.
  • Resistir à força das pautas habituais de conduta.


Exercício 1:

Muda o teu estado de ânimo:

  • Avalia como é o teu estado interno e decide em que desejas produzir a mudança.
  • Polariza os teus pensamentos, tuas emoções, atitudes e acções de forma que sejam consequentes com o estado interno que desejas gerar em ti.
  • Detecta as resistências das tuas pautas habituais de conduta.
  • O resultado será mais rápido segundo a firmeza da tua decisão e a magnitude de aquilo que desejas conseguir.


Exercício 2:

Muda uma situação conflituosa:

  • Ante uma situação conflituosa, observa como esta te afecta de forma negativa.
  • Põe “ao mesmo tempo, boa cara”; apaga o pesar, desdramatiza a situação, esforça-te por sorrir, por ter bom humor de forma permanente.
  • Não te deixes levar pelo mau estar automático, pelos pensamentos negativos, pelo desespero, nem pelo pessimismo;  não deixes que o mau estar te sugira o que deves fazer.
  • Em alguns dias, observa como muda o teu panorama com relação a essa situação conflituosa.


Exercicio 3:

Muda a tua relação com o dinheiro:

  • Avalia como é a tua relação com o dinheiro: se não é positiva, não será possível que melhore a tua economia, posto que, como desejar algo que lá no fundo se desqualifica? Ou produz medo, insegurança, etc.?
  • Polariza teus pensamentos, tuas emoções, actitudes e acções de forma que sejam consequentes com a relação que desejas ter até ao dinheiro.
  • Detecta as resistências à mudança das tuas pautas habituais de conduta.
  • O resultado dependerá em grande medida da capacidade de cada um para reconhecer a sua verdadeira relação com o dinheiro.
Imprimir
 
Enviar a um amigo
Otimizada para 1024x768, para Internet Explorer 7.0 em Windows, Safari 4.0 em Mac e em Windows, e Mozilla Firefox 3.0 em Windows, ou superiores.