O Ensino / Hipsoconsciência / Respiração

O que nos ajuda a ficar alerta? Y. .. Como é que vamos chegar? ... Respirando!

Existem múltiplas maneiras de elevar o nível de consciência, uma delas é através da respiração. Ao respirar conscientemente establece-se um estado psíquico totalmente diferente de quando se respira de forma mecânica e involuntária.

Conceitos

A elevação do nível consciente de forma voluntária é um método que leva a pessoa a um estado de alerta. Hipso-consciência é o termo adoptado para designar a essência deste método, é dizer, elevação da consciência, ou elevação do NIVEL CONSCIENTE.

Os exercícios de hipso-consciência vão destinados a promover o despertar da pessoa e o desenvolvimento do EU.

Introduz a pessoa num novo estado de consciência permitindo assim, dar-se conta de:

  • O que é o que realmente lhe acontece.
  • O que é o que decide vencer para aliviar o seu estado anímico.
  • E com que atitude interna enfrentará a dita circunstância.


Há várias formas de abordar estas prácticas; começaremos pela educação do processo respiratório através de determinados exercícios respiratórios.

Mas, antes tratemos de responder às seguintes perguntas:

  • O que é a respiração?
  • Como influi a respiração nos estados anímicos?
  • Quais são os benefícios da reeducação da respiração?


A respiração é o fluxo da vida orgânica. È o único contacto ininterrupto que mantemos com a mãe natureza, e que à maneira do cordão umbilical nos ministra os elementos necessários para a nossa manutenção. A suspensão deste vínculo significa a morte.

Os nossos estados anímicos e imaginativos correspondem-se com o nosso modo particular de respirar. A pessoa que respira profundamente sempre tem mais energia psíquica e biológica. O que respira superficialmente é geralmente tímido e asténico.

A correcta respiração é uma das causas determinantes de uma boa saúde, de um sistema nervoso equilibrado, de um estado emocional sereno e de uma mente alerta.

O processo respiratório é a única função vegetativa (involuntária) que pode ser influenciada pela nossa vontade. É dizer, ao inspirar voluntariamente de forma profunda estamos impondo a nossa vontade sobre o sistema  vegetativo.

A educação e o domínio da respiração permitem estender a influência volitiva a reacções emocionais e nervosas que estão fora do nosso controle.

Existe interacção entre a nossa actividade mental e emocional  e o processo respiratório. Ao estar plácidos a nossa respiração se torna mais ritmica, suave e pausada; quando estamos tensos, o fluxo respiratório é entrecortado, arritmico e superficial; ao receber um impacto emocional tende a paralizar-se. Quando estamos concentrados, respiramos suave e imperceptivelmente; ao deixar vagar a nossa mente o processo se faz irregular.

Exercícios

Quê funções têm os exercícios respiratórios?

Os exercícios respiratórios têm como função:

  • Elevar o nível consciente.
  • Vitalizar o sistema nervoso.
  • Produzir um estado de relaxação, equilíbrio, calma e tranquilidade.
  • Mudar o nosso estado psiquíco.


Exercício Nº 1 – Respiração matinal

Realiza este exercício para aumentar a vitalidade antes de iniciar as tuas actividades diárias:

1ª etapa: de pé, com os olhos fechados, calcanhares juntos, pontas dos pés separadas, coluna vertebral direita, queixo levantado. Com os braços esticados e rígidos juntar as palmas das mãos por diante á altura do estomâgo. As gemas dos dedos devem tocar-se.

2ª etapa: começar a inspirar fazendo pressão suavemente com o estomâgo até fora, e levantando gradualmente ambos os braços à medida que se inspira, até que os pulgares cheguem à altura do queixo.

3º etapa: continua-se com o movimento abrindo os braços de lado até levá-los bem atrás, momento no qual devem ter-se cheios os pulmões. Retém-se o ar durante uns segundos.

4ª etapa: começa a iniciar-se a expiração, momento no qual se afrouxam os braços e mãos e se baixam suavemente à medida que se vai expirando, até que as palmas das mãos cheguem  a tocar as costas das pernas, posição na qual devem ter-se esvaziado  completamente os pulmões.

5ª etapa: pausa de descanso antes de repetir o exercício completo.

Es necesaria una versión más moderna del Adobe Flash Player.

getflashplayerGet Adobe Flash player

Exercício Nº 2 – A respiração completa

De pé, com os pés um pouco separados, a cabeça erguida e os ombros para trás, começa-se a inspirar dilatando o abdomém, projectando-o com certa força até diante até que se apresente ligeiramente abombado. Continua-se a inspiração até encher os pulmões, dilatando agora o tórax, com o qual se deprime de forma natural o abdómem. Ao expirar deve procurar contrair-se o abdómem para facilitar a eliminação do ar residual.

Esta é uma animação explicativa deste exercício:

Es necesaria una versión más moderna del Adobe Flash Player.

getflashplayerGet Adobe Flash player

Exercício Nº 3 – Respiração imperceptível

De pé, sentado ou deitado, começa-se por “sentir” o fluxo e refluxo do ar, localizando a dita sensação na dilatação e depressão peitoral. Sente como os pulmões se incham e desincham, exactamente igual com um globo. Continua até que te sintas identificado com o teu ritmo respiratório. Em continuação, procura reduzir a velocidade respiratória até que a tua respiração seja imperceptível e totalmente silenciosa. Prossegue até conseguires relaxar-te completamente ou mudar o teu estado mental ou emocional.

Esta é uma animação explicativa deste exercício:

Es necesaria una versión más moderna del Adobe Flash Player.

getflashplayerGet Adobe Flash player

Plano de formação

Para poder avaliar melhor o resultado desta formação, convém que antes de iniciá-la realizes a primeira fase de auto-avaliação.

Objectivos:

Que o estudante ou praticante seja capaz de:

  • Aumentar a capacidade de atenção.
  • Obter calma e tranquilidade diminuindo a tensão.
  • Manter maior vigôr.
  • Elevar o tom mental.

Fases:

Primeira semana:

  • Exercício: Respiração matinal.
  • Duração: 10 minutos.
  • Frequência: Todos os dias ao despertar.

Esta primeira fase pretende tomar consciência do início do dia com um acto voluntário relacionado com a energia vital que tomamos da natureza através do acto de respirar.

Este exercício eleva o tom mental e permite acumular energias para o dia.

Segunda semana:

  • Exercício: Respiração completa.
  • Duração: 5 a 10 minutos.
  • Frequência: 1 vez ao dia.

Neste período  centra-se a atenção na mecânica ou movimento do tórax durante a respiração. O propósito é aproveitar ao máximo a inspiração e ventilação pulmonar e mudar os estados de ânimo negativos ou demasiado eufóricos.

Terceira semana:

  • Exercício: Respiração imperceptível.
  • Duração: 5 a 10 minutos.
  • Frequência: 1 vez ao dia.

Esta fase pretende exercitar o controle sobre si mesmo, conseguir a relaxação e identificação com o seu ritmo respiratório.

Quarta semana:

Realizar todos os exercícios durante o dia, de acordo as necessidades de cada um. Sempre começar pelo exercício da respiração matinal.

Auto-avaliação

Elevação do nivel consciente para una vida melhor  

Para orientar a auto-avaliação que propômos, destacaremos algumas características que reflexam um alto nível de consciência:

  • Domínio de si mesmo.
  • Relaxação voluntária.
  • Uma atitude permanente e estável de calma e tranquilidade.
  • Melhoramento da saúde e aumento da vitalidade.
  • Maior rendimento no trabalho com menor fadiga.
  • Libertação de ideias perturbadoras.
  • Isolamento da influência negativa ambiental.
  • Retardamento do processo de envelhecimento.
  • Autodeterminação.
  • Utilização voluntária da mente para alcançar o êxito.
  • Melhoramento da capacidade de adaptação e maior flexibilidade intelectual.
  • Superação espiritual, moral e intelectual.


Recomendamos-te que imprimas esta auto-avaliação e a completes em duas oportunidades:

  • Antes de realizar o programa de formação, para conhecer o ponto de partida em cada um dos aspecto.
  • Depois do programa de formação para avaliar os resultados com o ponto de referência da primeira auto-avaliação


Avalia estes aspectos da tua pessoa, seleccionando  as seguintes alternativas:

    A   B   C
Estado de Saúde Boa Regular
Nível de energia vital Alta Media Baixa
Nível de relaxação Boa Media
Quietude mental Alta Média Baixa
Capacidade de concentração
Alta Média Baixa
Creatividade Alta Média Baixa
Controle emocional Alto Médio Baixo
Nível de angústia Baixa Média Alta
Nível de tolerância
Alta Média Baixa

 

Realiza a tua própria conclusão àcerca da realização do teu trabalho práctico

Revê se a maioria das tuas respostas foram A, B ou C, e segundo o resultado lê o parágrafo que corresponda à continuação:

Se nas tuas respostas finais há maioria de A, isto significa que estás a realizar um trabalho consciente e verdadeiro. Deves continuar acentuando  a frequência e a impecabilidade na realização de cada um dos exercícios. Terás descoberto uma nova forma de consolidar-te como pessoa centrada em formar uma identidade individual.

Se nas tuas respostas finais há maioria de B, o teu nível de realização é discreto e revela que ainda deves dedicar mais tempo e quem sabe um compromisso mais firme que te faça ser mais constante. Ainda que tenhas conseguido melhorar certos aspectos, podes conseguir resultados melhores.

Se nas tuas respostas finais há maioria de C, isto significa que as tuas conclusões têm um nível deficiente. Neste caso recorda que os mecanismos inconscientes que mantêm a nossa conduta são difíceis de vencer se não fôr com muita força  de vontade e motivação interior. Tenta novamente porque sem dúvida, mais de alguma vez na práctica de algum dos exercicíos propostos sentiste quietude, harmonia e paz interior. Os resultados que melhoraram  a tua vida  estão à tua espera, e só dependem de ti.

Em qualquer dos casos: compara os teus resultados e observa em quais malhoras-te mais e em quais menos. Isto te dará uma ideia da direcção até aquela que deves dirigir os teus esforços e o teu trabalho pessoal a partir de agora. Todos temos aspectos que nos resultam mais custosos, mais difíceis de vencer, e são estes aspectos não superados, os que drenam mais a nossa energia vital.

A elevação do nível de consciência permite à pessoa acercar-se mais da realidade e a enfrentar as dificuldades com poder e firmeza mantendo o optimismo e a alegria por viver, compreendendo que todas as experiências são utilizáveis para a superação espiritual, moral e intelectual, é dizer, o desenvolvimento integral de si mesmo.

Imprimir
 
Enviar a um amigo
Otimizada para 1024x768, para Internet Explorer 7.0 em Windows, Safari 4.0 em Mac e em Windows, e Mozilla Firefox 3.0 em Windows, ou superiores.