O Ensino / Os 7 Princípios / Vibração

"Nada está imóvil; tudo se move; tudo vibra".

Conceitos

Este princípio explica as diferenças entre as manifestações da matéria, a mente e o Espiríto.

A matéria e a energia não são mais que o resultado de estados vibratórios diferentes. O espiríto é um extremo polar vibratório mais elevado e a matéria um extremo polar vibratório mais denso. Entre ambos os extremos, os nossos pensamentos, as nossas emoções, os nossos desejos, impulsos, são estados vibratórios de frequências intermédias.

Os nossos pensamentos, emoções, desejos e impulsos são somente estados vibratórios. O nosso corpo físico é um conjunto de sistemas que vibram a uma mesma frequência, e a saúde é somente a harmonia vibratória dos sistemas biológicos.

No terreno da nossa vida pessoal tudo gira em torno da vibração; se estamos alegres é por uma vibração positiva; a tristeza é uma vibração negativa. O nosso pensamento nos fará ser mais ou menos inteligentes de acordo com a nossa vibração mental.

Cada pessoa tem um comprimento de onda mental que lhe é própria, de acordo com a frequência vibratória da sua inteligência; no entanto quanto mais curta é a onda mental, mais inteligente será o sujeito e vice-versa.

Os hábitos de conduta, os estados emocionais, os pensamentos habituais, as normas morais e espirituais do individuo determinam a bondade ou inconveniência dos seus estados vibratórios, o que por sua vez influi de maneira decisiva na sua vida quotidiana.

As vibrações positivas ou negativas se vão acumulando no individuo e em certo momento esta acumulação estala por um detonante e se produzem acontecimentos fastos ou nefastos.

A longitude da onda habitual de uma pessoa pode experimentar caídas vibratórias por vários motivos:

  • Problemas de saúde.
  • Depressões.
  • Conflitos internos.
  • Abulia intelectual.
  • Contágios do meio ambiente, ao expôr-se a impactos vibratórios negativos que o impactam e despertam ondas de qualidade similar.


Observa e pratica

O efeito da música no estado vibratório:

  • Todos buscamos o equilibrio e harmonização das nossas vibrações pessoais. Uma determinada música desperta sentimentos de tristeza (por ejemplo, os sons do instrumento indígena da quena), outras músicas despertam alegria e incluso algumas podem chegar a ser realmente perniciosas se ultrapassam uns certos decibéis de potência.
  • Observa o efeito que tem a música em ti; esta é a base da musicoterapia.


Exercício 1:

O poder da palavra:

  • A palavra é uma emissão vibratória da pessoa. A palavra tem força e poder.
  • Cuida a tua palavra para que seja verdadeira e coerente.
  • Observa o resultado no teu estado interno e nos efeitos externos, ao falar dos demais de uma maneira positiva e construtiva, quando o dizes do coração.


Exercício 2:

Mantém um nível vibratório positivo:

  • Cuida a tua vibração: recorda que esta será positiva se os teus pensamentos, tuas emoções e tuas atitudes e ações também o são.
  • Relaciona o teu estado vibratório com as coisas que te sucedem: recorda que se mudas positivamente a atitude, a emoção e o pensamento, emitirás as ditas vibrações  ao teu redor, e por correspondência receberás algo equivalente desde o exterior.
  • Mantém o teu estado vibratório: às vezes experimentamos  caídas vibratórias por contágios desde o exterior. Descobre como te afecta a relação com os demais e os lugares que frequentas. Se te é possível evita contactar-te com o que te prejudica, e em todo o caso, recorda que uma forma de proteger-te é manter de forma consciente sempre alta a tua vibração.
Imprimir
 
Enviar a um amigo
Otimizada para 1024x768, para Internet Explorer 7.0 em Windows, Safari 4.0 em Mac e em Windows, e Mozilla Firefox 3.0 em Windows, ou superiores.